29 de abr de 2008

Rolling Stones - "Shine a Light" (original soundtrack)


Esta é a trilha sonora de "Shine a Light", o filme dirigido por Martin Scorsese que retrata dois dias de shows dos Rolling Stones no Beacon Theatre de Nova York, em 2006, durante a turnê do álbum "A Bigger Bang". São 23 faixas em que Mick Jagger, Keith Richards, Ron Wood e Charlie Watts apresentam clássicos como "Jumping Jack Flash", "Brown Sugar", "Start me Up" e "Sympathy for the Devil", além de raridades e participações especiais de Christina Aguilera, Jack White e do bluesman Buddy Guy. Excepcional.
CD 1
1. Jumping Jack Flash
2. Shattered

3. She Was Hot

4. All Down the Line

5. Loving Cup

6. As Tears Go by
7. Some Girls

8. Just My Imagination

9. Faraway Eyes

10. Champagne & Reefer

11. Tumbling Dice

12. Band Introductions

13. You Got the Silver

14. Connections

CD 2

1. Martin Scorsese Intro

2. Sympathy for the Devil

3. Live With Me

4. Start Me Up

5. Brown Sugar
6. (I Can't Get No) Satisfaction

7. Paint It Black
8. Little T&A

9. I'm Free

10. Shine a Light


http://rapidshare.com/files/102917864/The_Rolling_Stones_Shine_a_light_Cd1.rar.html

http://rapidshare.com/files/102925551/The_Rolling_Stones_Shine_a_Light_Cd2.rar.html

Deep Purple-The Platinum Collection



Platinum Collection é a coletânea que traz os maiores sucessos de uma das grandes lendas do rock, o Deep Purple. São três CDs com 41 clássicos como "Black Night", "Child in Time", "Strange Kind Of Woman" e "Fireball, além de "Hush", o single que rendeu o 5° lugar para o grupo nas paradas americanas. "Smoke on the Water", "Perfect Strangers" e ""Woman from Tokyo" também fazem parte do album.




Disco 1:

01. Hush
02. Mandrake Root
03. Hey Joe
04. Kentucky Woman
05. Wring That Neck
06. Shield
07. Bird Has Flown
08. Emmaretta
09. Hallelujah
10. Black Night (Single Version)
11. Speed King
12. Flight Of The Rat
13. Child In Time

Disco 2:

01. Fireball
02. Strange Kind Of Woman
03. Demon's Eye
04. No One Came (1996 Remix)
05. Highway Star (1997 Remix)
06. Smoke On The Water
07. When A Blind Man Cries (1997 Remix)
08. Space Truckin' (1997 Remix)
09. Lazy (Live)
10. Never Before (Live)
11. Woman From Tokyo
12. Smooth Dancer
13. Mary Long
14. Burn (Single Edit)

Disco 3:

01. Might Just Take Your Life
02. Coronarias Redig
03. Stormbringer
04. Hold On
05. Soldier Of Fortune
06. Mistreated (Live)
07. You Keep On Moving
08. Love Child
09. Drifter
10. Perfect Strangers (Live)
11. Ted The Mechanic (Live)
12. Any Fule Know That
13. Bludsucker
14. Sun Goes Down

http://isohunt.com/torrent_details/40754574/deep+purple?tab=summary

28 de abr de 2008

Black Sabbath-Ozzy Years (8 álbuns)



Formada em Birmingham, Inglaterra, em 1968, a banda BLACK SABBATH foi a pioneira em lançar as fundações do heavy metal que assaltou a música popular nos anos 70 e 80. A maneira violenta de tocar, as letras sanguinárias, machistas e místicas tornaram-se o modelo para inúmeros grupos que se seguiram. Seu álbum homônimo de 1970 continua sendo um dos mais inovativos e influentes da história do rock. O quarteto composto por OZZY OSBOURNE (vocalista), Tony Iommi (guitarrista), Geezer Butler (baixista) e Bill Ward (baterista), inicialmente se chamou Polka Tulk e mais tarde Earth. Tomaram de assalto o circuito de pubs e clubes de sua cidade natal, com muita energia, blues e rock. Companheiros de escola e vizinhos em Birmingham, o grupo ganhou muitos seguidores na Inglaterra e em 1968 mudaram seu nome para Black Sabbath. O novo nome espelhava a imagem escura, pesada e mística da banda, seu gosto por temas sobrenaturais. Em 1969 entraram em estúdio para gravar o seu primeiro disco. O álbum "Black Sabbath" chegou ao Top Ten das paradas britânicas, onde permaneceu por três meses e valeu à banda um grupo de fãs fervorosos em ambos os lados do atlântico. O grande salto para a banda ocorreu com a gravação de "Paranoid", um álbum pioneiro do heavy metal. Contando com os riffs cortantes da guitarra de Iommi, o vocal sinistro de Ozzy e o rítmo de Butler e Ward, "Paranoid" alcançou o número um nas paradas inglesas e chegou ao número oito na américa, onde permaneceu por mais de um ano, virando disco de platina. A faixa título, um verdadeiro mergulho na loucura, foi o maior hit. A banda fez sua primeira turnê americana no outono deste ano. "Master of Reality", o terceiro álbum do Black Sabbath, foi lançado em agosto de 1971. Entre as oito músicas estavam algumas que se tornaram marcas registradas da banda, como "Children of the Grave" e "Sweet Leaf". O BLACK SABBATH gravou o álbum chamado "Vol. 4" no início de 1972 no Record Plant, em Los Angeles. Somando-se a poderosas músicas como "Supernaut" e "Under The Sun", o álbum revelava um lado completamente novo para a banda, com músicas melódicas, cuidadosamente escritas e tocadas, como "Cornucopia" e a instigante "Laguna Sunrise", uma composição instrumental que se tornaria uma das marcas registradas da banda. Considerado um dos clássicos do hard rock, o álbum de 1973, "Sabbath Bloody Sabbath", ganhou aclamação da crítica. Músicas como "Killing Yourself to Live", "Looking For Today" e a faixa título aliavam o som poderoso do grupo a letras mais amplas e multi-facetadas. Produzido, escrito e gravado pela banda, "Sabbath Bloody Sabbath" foi um ponto alto na sua longa carreira. Quando "Sabotage", sexto disco do Black Sabbath, foi lançado em 1975, não apenas estava comprovada a competência da banda, mas também era óbvia a melhoria dos arranjos, produção e lirismo. "Sabotage" é o Sabbath ainda no topo da carreira. "We Sold Our Soul For Rock and Roll" foi uma demolidora coletânea, composta de quatorze músicas, todas clássicos do hard rock e heavy metal. Trata-se de uma excelente amostra da carreira da banda, desde o primeiro álbum até "Sabotage". "Technical Ecstasy" trata-se de um dos mais inventivos e originais álbuns de estúdio do Black Sabbath. Traz músicas típicas da banda, como "Back Street Kids", "Gypsy", "Rock 'N' Roll Doctor" e a principal do LP, "Dirty Women". Em 1977 Ozzy deixou o BLACK SABBATH por problemas pessoais. Durante esse periodo, de outubro de 77 a janeiro de 78, Dave Walker do Fleetwood Mac, o substituiu. Com esta formação a banda tocou ao vivo apenas uma vez, para um programa de televisão, e gravou "Junior´s Eyes" com diferentes letras. Sendo o oitavo álbum de estúdio de uma carreira que se extende por mais de duas décadas, o lançamento de 1978, "Never Say Die", traz algumas das mais memoráveis letras. "Never Say Die" captura toda a força da formação original. Foi o último álbum com Ozzy à frente do Sabbath. Inclui as músicas "Johnny Blade", "Breakout", "Shock Wave" e a faixa título, todas tocadas no repertório da banda ao vivo.


Download

"Mothership"- Led Zeppelin


A coletânea "Mothership", do Led Zeppelin,praticamente repete a coletânea "Remasters", de 1992, já fora de catálogo, mas a outra tinha três canções a mais, "Celebration day", do “Led III” e “Misty mountain hop” do “Led IV”. “Mothership” tem "When the levee breaks” (Led IV) e "Over the hils and far away" (LP “Houses of the holy"). No caso de bandas como o Led, melhor mesmo é ter os discos inteiros para conhecer todos os lados de uma formação que fez a ponte entre o folclore celta e os blues do Delta do Mississippi numa sonoridade original que aliada à qualidade do material autoral, fez da banda uma das maiores da história do rock se não a maior. Em termos técnicos não há dúvidas sobre sua superioridade em relação aos que normalmente a antecedem em listas de melhores de todos os tempos, a saber Beatles e Rolling Stones.
Ouça Rock and roll Anyway, traz todos os lados do Led, suas misturas de acústico e pesado como em “Over the hills and far away” que começa com dois violões e depois cai num rockão em que Page colocou uma guitarra no canal esquerdo e violão no canal direito, o solo no meio e um segundo solo em pan passeando entre os dois canais. A audição em fone de ouvido permite uma boa apreciação do trabalho meticuloso de Jimmy Page na produção. "D'yer Mak'er" ("Houses of the holy") é uma incursão no funk em cima da batida dançante de Bonham com um piano martelante à esquerda e a guitarra malevolente de Page à direita com Robert Plant maliciosamente no meio. A viajante "No quarter" soa bem melhor na versão ao vivo do CD "The song remains the same" principalmente pela guitarra mais veemente de Page em relação à versão de estúdio. "Trampled underfoot" (''Physichal grafitti''), tocada no show de Londres, é um primor de trabalho de várias guitarras nos dois canais com um teclado funkeado e um vocal cheio de maldade. "Houses of the holy" ("Physichal Grafitti") é a típica canção pesada zepeliana com uma massa de guitarras num riff irresistível sobre a batida pesada e o baixo, Page solta umas frases aqui e ali, gosto desse estilo de Bonham de ficar segurando a batida, quebrando-a de vez em quando, sem viradas excessivas. Plant vai em velocidade de cruzeiro,soltando seu falsete na segunda parte. Quando disseram a Plant que a maior canção da banda era "Stairway do heaven" ("Led IV"), ele rebateu que era "Kashmir" ("Physichal"). Concordo. Com seu sedutor clima que viaja do árabe ao indiano, com hipnóticas cordas e mellotron mixados numa única massa sonora, “Kashmir” é um hino épico bem mais consistente que “Stairway” e imune ao desgaste da primeira. No DVD, Page pilota uma guitarra Danelectro enquanto Jones cria os climas orquestrais no Yamaha GX-1 de três teclados, um protótipo que teve poucas unidades comercializadas e fornece sons de piano, órgão e sintetizador. Page volta a empunhar a Danelectro para uma sensacional performance slide em "In my time of dying" ("Physical"), uma das melhores do DVD, o punch da banda em seu ponto mais alto. Ouça Kashmir "Black dog", "Rock and roll", "Communication breakdown" e "Heartbreaker", todas na coletânea, podem ser apresentadas para qualquer um que peça canções que definam o espírito do rock. A unidade mais básica - baixo-guitarra-bateria e voz – cuspindo fogo com técnica impecável, o rock elevado à categoria de arte, ponto alto de uma evolução iniciada nos anos 50 sem perder a essência demonstrada num "Rock'n'roll music" de Chuck Berry ou um "Lucille" de Little Richard. Podia ficar aqui escrevendo um tratado sobre o Led a partir de "Mothership" pela riqueza contida nestas 25 canções em áudio e 20 em DVD, uma obra que levaria tranqüilamente para uma ilha deserta e ficaria anos aprendendo coisas novas com ela.

Faixas


CD 1
1. Good Times Bad Times
2. Communication Breakdown
3. Dazed And Confused
4. Babe I'm Gonna Leave You
5. Whole Lotta Love
6. Ramble On
7. Heartbreaker
8. Immigrant Song
9. Since I've Been Loving You
10. Rock And Roll
11. Black Dog
12. When The Levee Breaks
13. Stairway To Heaven

CD 2
1. Song Remains The Same
2. Over The Hills And Far Away
3. D'Yer Maker
4. No Quarter
5. Trampled Under Foot
6. Houses Of The Holy
7. Kashmir
8. Nobody's Fault But Mine
9. Achilles Last Stand
10. In The Evening
11. All My Love

http://isohunt.com/torrent_details/29726818/led+zeppelin?tab=summary
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...