16 de dez de 2011

Ukulele Songs - Eddie Vedder (2011)


Eddie Vedder, mais conhecido como vocalista e principal compositor do Pearl Jam, lançou em 2011, seu segundo disco solo. O título do álbum é uma perfeita descrição do seu conteúdo: uma coleção de músicas tocadas no ukulele (um instrumento havaiano de 4 cordas, semelhante ao cavaquinho). Por mais estranha e inusitada que a proposta pareça, o resultado é um trabalho surpreendente.


Dois dos melhores momentos do álbum são as faixas em que Vedder colabora com outros cantores. Tanto "Sleepless Nights", com Glen Hansard (da dupla The Swell Season), quanto "Tonight You Belong To Me", um dueto com a cantora Cat Power.
 

Apesar de sua uniformidade sonora, que alguns podem confundir com preguiça de explorar outros instrumentos, Ukulele Songs evidencia o talento de Eddie Vedder, e a paixão com que ele gravou estas canções. Considerando as limitações que Vedder impôs à sua própria música, o resultado é admirável, e melhor do que se acreditava possível.

A capa do disco é uma bela obra de Jason deCaires Taylor chamada The Lost Correspondent.
  1. Cant Keep 2:36
 2. Sleeping By Myself 1:53
 3. Without You 3:18
 4. More Than You Know 2:24
 5. Goodbye 2:28
 6. Broken Heart 2:36
 7. Satellite 2:28
 8. Longing To Belong 2:38
 9. Hey Fahkah 0:08
 10. Youre True 3:23
 11. Light Today 2:41
 12. Sleepless Nights 2:39
 13. Once In A While 1:44
 14. Waving Palms 0:37
 15. Tonight You Belong To Me 1:41
 16. Dream A Little Dream 1:30

CD

14 de dez de 2011

Paul Mccartney Live At The Cavern

"Live at the Cavern Club" é o registro deste show, ao mesmo tempo histórico e inacreditável, realizado por Paul e seus chapas em 1999. Promovendo o disco "Run Devil Run", que trazia um repertório repleto de rocks da década de 1950, McCartney escolheu o pequeno, apertado e esfumaçado Cavern Club para realizar uma verdadeira aula de rock and roll.

A banda, acima de qualquer suspeita, diverte-se genuinamente durante todo o show, de uma forma espontânea que chega a chocar em alguns momentos, já que não estamos habituados a ver ícones como Gilmour, Paice e McCartney com uma intimidade tão grande. É como se o grupo que toca todo final de semana naquele seu boteco favorito fosse formado por alguns dos maiores músicos da história.

O repertório é uma sucessão de rocks inocentes e agitados, passando por hinos dos Beatles, como "I Saw Her Standing There", e clássicos que marcaram época, como "Honey Hush", "Lonesone Town", "Blue Jean Bop", "Fabulous" (com o grupo entrando totalmente errado e recomeçando a canção sob a batuta de Paul) e "Twenty Flight Rock".

Individualmente não há o que relatar em "Live at the Cavern Club" além do imenso prazer de assistir músicos experientes e lendários se divertindo  como se fossem crianças. Paul comanda o espetáculo, e parece ter novamente quinze anos. Gilmour revela um outro lado, soando mais agressivo na maneira de tocar do que aquela que nos acostumamos a ouvir nos álbuns do Pink Floyd  e em sua carreira solo, soltando-se de tal maneira no palco que chega até a dançar. Mick Green esbanja simplicidade nas bases e nos solos. Wingfield viaja de volta aos anos 1950 e traz na bagagem uma época mágica, onde o piano marcava presença e tornava os primeiros registros do rock ainda mais irresistíveis. E Paice segura tudo lá atrás com o talento que só um dos maiores bateristas da música pode ter. Como extras, cenas da gravação de "Run Devil Run" e dois clipes do disco.

"Live at the Cavern Club" é um DVD excepcional, obrigatório, clássico. Mostra todo o despojamento de ícones que atravessaram décadas, reunidos em um palco, se divertindo como se fossem adolescentes que acabaram de descobrir o rock. Talvez seja esse o segredo dessas carreiras únicas: uma paixão pela música tão grande que vai além do tempo, renovando-se a cada dia.

01. Honey Hush
02. Blue Jean Bop
03. Brown Eyed Handsome Man
04. Fabulous
05. What It Is
06. Lonesome Town
07. Twenty Flight Rock
08. No Other Baby
09. Try Not to Cry
10. Shake a Hand
11. All Shook Up
12. I Saw Her Standing There
13. Party

parte 1
parte 2
parte 3
parte 4
parte 5
parte 6
parte 7


Por Ricardo Seelig

11 de dez de 2011

Stevie Ray Vaughan - Desvendando Montreux '82

A apresentação de SRV no Festival de Montreux de 1982,foi o maior show de sua carreira.

O convite veio do renomado produtor Jerry Wexler,mas sem dinheiro para a viagem,a banda até então só tocava em bares,consegiu com um grupo de empresários um empréstimo de 15 mil dólares e seguiu viagem.

E foi isso que aconteceu,mas não sem que Vaughan tenha sido obrigado a passar por uma prova de fogo,que está imortalizada nesse disco ao vivo.

O volume muito alto da guitarra de SRV,em uma noite em que os shows anteriores foram todos acústicos ou o estranhamento do público ao ver um branco com chapéu de cowbói tocando blues,a verdade que as vaias duraram toda a apresentação e foram mais altas do que se ouve na gravação.

Mas o que mais abalou Vaughan foi o fato de estar programada uma jam comLarry Graham,onde tocariam Johnny B. Goode,e por ter sido vaiado não ouve o bis,e pior,quando sairam do palco passaram pelo camarim da outra banda e lá estava Graham passando a música com eles!
Isso foi um insulto maior ainda.
 

Montreux iria também levar Vaughan a aparecer em um grande disco pop que aumentou sua reputação,mas até mesmo esse sucesso foi um brutal rito de passagem.

David Bowie,a atração principal do festival,ficou fascinado com a apresentação do guitarrista e o convidou para tocar no álbum Let's Dance.
"Pelo que entendi,Bowie estava procurando alguém que tocava este estilo,e fui o escolhido.Eu não sabia como me encaixaria,já que não tinha ouvido o material e não fazia a m´nima idéia de como eram as músicas.Eu sabia que tipo de R'n'B David gostava,porque conversamos sobre isso" disse SRV na Guitar Player em agosto de 83.

A verdade é que ele fez solo sobre solo,e tocou notas que ninguém jamais sonharia que funcionariam naquelas músicas e em pouco tempo se tornou o parteiro do som que ficou soando em meus ouvidos o ano inteiro,disse David Bowie.
Depois de alguns ensaios para a turne,Vaughan acabou se desligando da banda de Bowie por causa de restrições que era obrigado a seguir por contrato.

Após a recusa de continuar tocando com Bowie,e com a credibilidade em alta,recebeu o convite do músico Jackson Browne para usar seu estúdio na Califórnia,onde Vaughan gravou em 83 o seu primeiro disco com a gravadora Epic,o Texas Flood,fortemente influenciado pelo som de Hendrix,Buddy Guy e Albert Colins.


O álbum foi indicado a dois Grammy,melhor gravação de blues tradicional e melhor rock instrumental para a música Rude Mude.

Estou postando na sequência o show em Montreux de 1982,o álbum Texas Flood de 1983,um pirata soudboard dos ensaios para a turne com David Bowie que nunca aconteceu,o David Bowie & Stevie Ray Vaughan – Dallas Moonlight (1983),e por fim o Let's dance também do Bowie com SRV na guitarra.


Stevie Ray Vaughan - Live At Montreux 1982 
Hide Away
Rude Mood
Pride and Joy
Texas Flood
Love Struck Baby
Dirty Pool
Give Me Back My Wig
Collins Shuffle

CD

Texas Flood (1983)
1. Love Struck Baby
2. Pride and Joy
3. Texas Flood
4. Tell Me
5. Testify
6. Rude Mood
7. Mary Had a Little Lamb
8. Dirty Pool
9. I’m Crying
10. Lenny

CD

David Bowie & Stevie Ray Vaughan – Dallas Moonlight (1983)
Disco 1

1. Star
2. Heroes
3. What In The World
4. Look Back In Anger
5. Joe The Lion
6. Wild Is The Wind
7. Golden Years
8. Fashion
9. Lets Dance
10. Red Sails
11. Breaking Glass
12. Life On Mars
13. Sorrow
14. Cat People (Putting Out Fire)
15. China Girl
16. Scary Monsters (Super Creeps)
17. Rebel Rebel
18. I Can’t Explain
19. White Light White Heat

CD


Disco 2

1. Station To Station
2. Cracked Actor
3. Ashes To Ashes
4. Space Oddity
5. Young Americans
6. Soul Love
7. Hang Onto Yourself
8. Fame
9. TVC15
10. Stay
11. Jean Genie
12. Modern Love

CD


Let's Dance (David Bowie 1983)

01. Modern Love
02. China Girl
03. Let’s Dance
04. Without You
05. Ricochet
06. Criminal World
07. Cat People (Putting Out Fire)
08. Shake It
09. Under Pressure


CD
 senha: muro

9 de dez de 2011

The Frost

Mais conhecida como “a banda de Dick Wagner”, o Frost foi um dos grupos que mais rapidamente chamou a atenção de público e crítica em Detroit devido a seus concorridíssimos concertos.
 Wagner vinha do grupo The Bossmen, banda famosa nas rádios de Michigan cujo baixista era ninguém menos do que Mark Farner, futuro líder do Grand Funk Railroad.
 Para a próxima década que se aproximava, Wagner resolveu apostar num som mais selvagem e pesado, nascia o Frost. Em 1970 a banda já tinha três álbuns lançados e era uma das “favoritas da casa” no famoso Grande Ballroom.

Fato: O experiente guitarrista Dick Wagner ajudou carreiras de gente importante como Alice Cooper, Lou Reed, Kiss, Aerosmith e Peter Garbriel, sendo por algum tempo o braço direito dos dois primeiros, tanto em estúdio como ao vivo. Wagner também liderou outra grande banda de Detroit dos anos setenta, o Ursa Major. 

 do Poeira

Formação:
Gerdy Garris
Don Hartman
Bob Riggs
Dick Wagner
Gordy Garris

Frost Music -1969















1.Jennie Lee (3:04)
2.The Family (3:02)
3.A Long Way Down From Móbile (3:07)
4.Take My Hand (4:19)
5.Mystery Man (4:26)
6.Baby Once You Got It (2:37)
7.Stand In The Shadows (8:02)
8.Little Susie Singer (Music To Chew Gum By) (2:44)
9.First Day Of May (3:30)
10.Who Are You? (5:16)

CD

Rock and Roll Music -1970
















01 Rock and Roll Music 2:46
02 Sweet Lady Love 3:00
03 Linda 3:03
04 Black Train 2:40
05 Help Me Baby 6:41
06 Donny's Blues 7:47
07 We Got to Get out of This Place 12:08

 Through the Eyes of Love -1970 















1. Black as Night 7:36
2. Fifteen Hundred Miles (Through the Eyes of a Beatle) 3:39
3. Through the Eyes of Love (God Helps Us Please) 6:15
4. Maybe Tomorrow 2:53
5. It's So Hard 4:51
6. A Long Way from Home 3:52
7. Big Time Spender 4:32

7 de dez de 2011

Cry Of Love - Brother (1993)

A banda Cry Of Love teve existência efêmera (apenas dois discos lançados antes do fim) o que não lhe tira, de modo algum, a qualidade.
O debut, “Brother” é southern/blues rock de características claramente setentistas (remetem a Lynyrd Skynyrd, mas também a Free).
A guitarra de Audley Freed (que com a dissolução da banda foi tomar parte do Black Crowes), selvagem, segue a trilha de Rory Gallagher; o vocal de Kelly Holland (que saiu após o primeiro disco) é arrasador.
Um álbum que, mesmo após tantos anos, ainda mantém absoluto frescor.


01. Highway Jones
02. Pretty As You Please
03. Bad Thing
04. Too Cold In The Winter
05. Hand Me Down
06. Gotta Love Me
07. Carnival
08. Drive It Home
09. Peace Pipe
10. Saving Grace

Kelly Holland - vocals, percussion and piano
Audley Freed - guitar
Robert Kearns - bass
Jason Patterson - drums

Additional Musicians:
John Custer - piano (3)
Pepper Keenan - tremolo guitar (3)






Por Giulianella Furlan

6 de dez de 2011

Three Man Army - Third of a life Time (1971)

Realmente eu não entendo como milhares de grandes discos e grandes bandas foram absurdamente ignoradas nos anos 70 e hoje são como pepitas de ouro em um garimpo.

A Three Man Army é um grande exemplo, essa banda já tinha o Carmine Appice,lendário batera, o Mike Kelly que era do Spooky Tooth ,outra grande banda, e Tony Newman, que segurou as pontas depois da saída da Carmine, indo tocar logo depois com Bowie e com o T-rex. Esse disco ,o Third of a life Time é matador.

do Marka Diabo

01.Butter Queen
02.Daze
03.Another Day
04.One Third of a Lifetime
05.Nice One
06.What's My Name
07.Three Man Army
08.See What I Took
09.Midnight
10.Together


CD

3 de dez de 2011

Hypatia Lake - Ouroboros (2011)

Um pouco de stoner e muito de heavy psych é o que se pode encontrar em “Ouroboros”, disco do trio Hypatia Lake.
De acordo com os músicos, “somos convidados a fazer uma viagem cósmica. Uma viagem em que todo o destino da Multiverse (universo múltiplo), repousa sobre os ombros de um ser humano, um personagem na cidade de Hypatia Lake, cujo nome é Rose Marie”.
Com fortes influências nos anos 70 (Sabbath e Hendrix são referência), o disco intercala momentos mais pesados com alguns francamente líricos e viajantes (até acústicos). A aura das canções é bem retro e a sonoridade, interessante.




01. Star Eater 03:13
02. Suicide (will not save you from this darkness that comes for us all) 04:54
03. White Raven, Black Sun 03:05
04. A Plea to the Queen 02:23
05. The Eclipse on the Horizon has the Wings of a Demon 03:37
06. Prophecy I 01:15
07. The Keepers of the Great White Lodge 05:59
08. Only the Queen (can speak to the nine-eyed rose of infinity) 03:15
09. Prophecy II 02:37
10. The End is the Beginning of the End (Ouroboros) 05:58


Lance Watkins: Vocals and Guitar
Randall Skrasek: Vocals and Bass
Dave Foley: Drums and Visual Programming



CD

por Giulianella Furlan
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...