12 de jun de 2008

Deep Purple-The Bootleg Series 1984-2000 disco 4 - In Trousers

Managers, mídia e principalmente os fãs queriam ver o Deep Purple reunido com a Mark II, para comemorar os 25 anos de carreira। Mas será que a banda queria isso?? Talvez a resposta esteja perdida em algum bootleg como esse, afinal de contas, o video Come Hell Or High Water não serve de exemplo para pensarmos que tudo foi um fiasco naquela turnê.O repertório desse In Your Trousers é muito parecido com o de Come Hell Or High Water, ou o quádruplo Nec 1993, porém, nessa apresentação em Stocolmo, em 13 de novembro de 1993, o Purple estava absurdamente infernal!!Nem parecia que, algumas semanas depois, a banda viveria uma de suas piores crises, com a saída abrupta de seu líder Ritchie Blackmore.Sim, Blackmore conduziu a banda durante anos, em uma espécie de "ditadura passiva" e, bem ou mal, conseguiu trazer o Purple até os anos 90, até o limite do suportável e do insuportável para eles.Se isolarmos essa turnê e esquecermos do passado recente daquele período e de seu futuro próximo, poderemos observar que os caras realmente estavam curtindo muito aquela reunião e estavam tocando com muito tesão.Inclusive, fizeram algo "extremamente audacioso" para os padrões do Purple daquele período: incluíram uma música que nunca figurou no repertório da banda: a belíssima Anyone's Daughter!Essa é uma das piores características do Purple, entre os anos de 1984 e 1993: os caras só tocavam as mesmas músicas (salvo as dos discos em divulgação). Meu Deus, o repertório era sempre o mesmo! Eles não arriscavam tocar músicas diferentes e isso transformou o Purple em uma banda muito previsível em termos de repertório, infelizmente...In Your Trousers mostra um Deep Purple vigoroso, potente e com sede de recuperar o tempo perdindo, muito parecido com aquele Deep Purple dos cinco jovens que ajudaram a escrever as páginas do rock pesado, no início dos anos 70.É uma pena que essa reunião tenha durado tão pouco tempo, mas as coisas acontecem muitas vezes porque nós temos a opção de escolha, e a escolha de Blackmore foi não mais participar da banda. Por outro lado, a banda (principalmente Gillan) também não estava mais satisfeita com o clima em que viviam.A saída de seu líder e fundador foi traumática mas não o suficiente para enterrar toda a sua história e legado. Pelo contrário, deram a volta por cima e continuaram sua gloriosa saga.Blackmore reformulou o Rainbow, em uma volta fantástica (mesmo sem o mestre Dio), ainda que por um breve período.Não vou informar o tempo de duração total dos dois CD's, nem o tracklist, pois já encheu o saco!!Baixe e ouça essa play! Vale a pena.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...